História de Itu

O marco da fundação da cidade de Itu foi à construção, em 10, de uma capela devotada a Nossa Senhora da Candelária, no lugar em que hoje fica a Igreja do Bom Jesus. Esta capela foi construída por Domingos Fernandes e seu genro, Cristóvão Diniz. Eles receberam por sesmaria em 1604, a posse das terras dos campos do Pirapitingui. Em 02 de Fevereiro adotou-se o dia com data de aniversário de Itu, por coincidir com o dia de Nossa Senhora da Candelária.

O povoado se formou em torno desta capela. No ano de 1653 foi elevada a Freguesia de Santana do Parnaíba. Em 1.657, passou à condição de Vila com direito a possuir uma Câmara Municipal, iniciando-se assim a construção de um novo templo. Durante quase 100 anos (de 1657 a 1750) a Vila de Itu não passou de um pequeno núcleo, com menos de 100 casas, concentradas no pátio da antiga Matriz e numa única rua que ia do pátio até a capelinha do primeiro povoado. Uma boa parte das casas, as do pátio, sobretudo, pertenciam a fazendeiros. Quando aumentou a escravatura e a produção das fazendas, seus donos ajudaram a erguer dois conventos na Vila, o de São Francisco (1692) e o do Carmo (1719).

Os comerciantes ergueram, em 1726, uma capela, num lugar ainda descampado, a de Santa Rita, inaugurada em 1.728 Em 1760, já existiam cerca de 105 casas e mais uma rua, chamada da Palma (atual Rua dos Andradas). Nessa época, Itu se firma como entreposto de comércio na rota entre o sul do país e as regiões mineradoras de Mato Grosso e Goiás. Na Vila as maiorias das casas eram pequenas e habitadas por gente que pouco ou nada possuía.

Alguns anos depois, em 1776, com o crescimento das lavouras da cana de açúcar e do algodão a Vila cresceu contando com 180 casas, tendo ainda as mesmas ruas de antes. Quem deu vida à localidade foram os artesãos (sapateiros, ferreiros, carpinteiros, tecelões, costureiras e fiandeiras), os quais ocupavam 119 casas. Os comerciantes interessados na venda de tecido, colchas e cobertores para outras regiões, promoveram o cultivo de algodão, e a produção caseira de tecidos. A partir de 1777, a Vila de Itu cresceu em função dos negócios de exportação de açúcar para a Europa. O número de engenhos de cana e de escravos vindo da África se multiplicou.

De 1785 a 1792, foram abertas as ruas que descem paralelas, pelas encostas do espigão, e seus prolongamentos pelo lado da Igreja do Patrocínio inaugurada em 1.819. Em 1.811, foi criada a Comarca de Itu. Pela Lei Provincial de 05 de fevereiro de 1.842, a Vila de Itu foi elevada à cidade. Nessa ocasião, possuía umas 800 casas. A partir de 1.850 e durante anos, Itu foi considerada a cidade mais rica da Província de São Paulo, com importante participação na vida política e econômica.

Em 1860, ocorreu uma grande crise no mercado internacional do açúcar. O plantio da cana entrou em decadência, causando, com o tempo, um conflito entre os políticos e os fazendeiros ituanos contra o Governo Imperial. Cresceu em Itu o Movimento Republicano que resultou, em 1873, na realização da Primeira Convenção Republicana do país. Início da propaganda republicana, com a criação do Partido Republicano Paulista. Por isso mesmo, Itu é chamada de “Berço da República”.

City-tour em Itu: visitaremos o Museu Republicano, muito importante no sentido de estudar a questão política das ultimas décadas do século XIX e a Proclamação da República, além de possuir rico acervo neste sentido, possibilitando um passeio pelos aposentos e mobiliário dos aristocratas da época. Local da fundação, Matriz de Nossa Senhora da Candelária, Espaço Cultural Almeida Júnior e construções antigas onde se destacam a arquitetura de diversos períodos da história de Itu.

 

Orelhão de Itu

O Orelhão de Itu é um dos principais pontos turísticos da Estância Turística de Itu, e um dos responsáveis pela fama da "cidade onde tudo é grande". O Orelhão foi cedido pelo ex-ministro das Comunicações, Higino Corsetti, e instalado pela Companhia Telefônica na Praça da Matriz. Homenageado com um banquete na cidade, ele encerrou seu discurso com as seguintes palavras: "O Brasil é grande, mas eu sei que Itu é maior. E a Telesp não podia deixar de instalar, na cidade um orelhão à altura da sua fama", com sete metros de altura. No começo os habitantes da cidade duvidaram que a Telesp poderia instalar um orelhão gigante na cidade, mas isso aconteceu. Feito na mesma fábrica que produzia os orelhões comuns, nasceu o "Orelhão de Itu", instalado num poste do jardim da matriz, atraindo a curiosidade de turistas e visitantes.

 

Parque do Varvito

O Parque do Varvito, um verdadeiro monumento geológico inaugurado em 23 de julho de 1.995, já recebeu desde sua inauguração mais de 500 mil visitantes, entre turistas, estudantes e pesquisadores. Patrimônio tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turismo do Estado de São Paulo), o Parque do Varvito foi construído numa área de 44.346 m2 da antiga pedreira. Varvito é o nome utilizado pelos geólogos para dominar um tipo de rocha sedimentar única, formada pela sucessão repetitiva de lâminas ou camadas, cada uma delas depositada durante o intervalo de um ano.

O Varvito de Itu é a mais importante exposição conhecida desse tipo de rocha na América do Sul. Em termos geológicos, o varvito faz parte de um pacote de rochas sedimentares que contêm evidências de uma extensa idade glacial, há 280 milhões de anos, quando um enorme manto ou lençol de gelo cobriu a região sudeste da América do Sul. O Parque do Varvito, além de oferecer ambiente agradável em contato com a natureza e com painéis didáticos sobre a manifestação geológica.

 

Casa Imperial

A casa encomendada por Francisco Souza, construída com muito requinte e fino acabamento, e que pertenceu posteriormente a Carlos Pereira, hospedou em 1884 a Princesa Isabel e seu consorte Conde D'Eu. Por essa razão o solar ficou conhecido como Casa Imperial. Restaurada pelo casal Sebastião Gomes Caselli e Maria Lúcia de Almeida Marins e Dias Caselli, a Casa Imperial, situada na praça D. Pedro I, é um dos marcos significativos das antigas residências de Itu.

 

Igreja Matriz Nossa Senhora da Candelária

A Matriz de Nossa Senhora da Candelária foi construída em 1780 sob orientação do Padre João Leite Ferraz de Arruda. Recebeu depois, sucessivas reformas, em que se destaca o trabalho de Ramos Azevedo e de Antônio Francisco de Paula Souza. Existem no interior do templo obras valiosas de talhas e de pintura, de autoria de José Patrício da Silva, do Padre Jesuíno do Monte Carmelo e de Almeida Júnior. As telas que forram o teto da sacristia são da artista italiana Lavínia Cereda.

 

Museu Republicano "Convenção de Itu"

No ano de 1867, foi inaugurado um elegante sobrado, situado então à Rua do Carmo, atual Barão de Itaim, construído a mando de Francisco de Almeida Prado. Por herança passou a pertencer aos filhos, Carlos e José Vasconcelos de Almeida Prado. A fachada foi revestida de azulejo. Foi nesse prédio que, a 18 de abril de 1873, realizou-se a reunião que efetivou as bases do Partido Republicano Paulista, mais conhecida como Convenção de Itu.

 

Ficha Técnica

Pacote completo inclui: Transporte(ônibus de turismo), Autorização + Crachá (adesivo personalizado) + Colete (Colorido para facilitar a visualização) + Monitor (Pedagógico e lazer saindo da escola, equipado com rádio HT e amplificador de voz) + Coordenador (assessorando a atividade do início ao fim). Almoço ou lanche (Opcional).

Para cada 10 pagantes uma cortesia para o professor.

Período integral.

Solicite um orçamento desta atividade

Preencha o formulário abaixo para solicitar um orçamento desta atividade:

* Todos os campos são obrigatórios

Compartilhe com um amigo(a)








Enviar